Imagem do leitor: Cb no campus da UFT em dezembro/2010

O Ismael, engenheiro que trabalha na UFT, mandou novas imagens registradas lá no campus da UFT. Essas imagens foram registradas no final de dezembro de 2010 e mostram uma tempestade se formando.

Veja a outra contribuição do Ismael nesse post.

Observem a base da nuvem Cb (Cumulonimbus), muito escura. Isso indica uma nuvem muito profunda, com bastante água para precipitar. Indica também uma tempestade intensa. Reparem também que a base da nuvem, em alguns pontos, parecem estar “descendo”. É dessa maneira que se formam os tornados, mas claro, outras condições precisam estar presentes para a formação desse fenômeno (veja no post).

 

14678011_10207051602480887_1991919708_o

14795800_10207051601560864_759316005_o-1

Nosso colaborador inclusive mandou uma imagem indicando em que ponto do campus a foto foi feita. Observe a localização abaixo. Reparem que o local conta com construções e alguns galpões, que correm o risco de serem destelhados por ventos intensos ou de serem atingidos por granizo em caso de tempestades severas.

14804882_10207051619081302_547528085_n

Ismael é engenheiro e sua principal preocupação é com relação ao dano à rede elétrica e aos equipamentos eletro-eletrônicos em decorrência das descargas atmosféricas. Inclusive ele me mandou uma notícia recente que nos faz lembrar dos perigos dos raios. No último domingo (dia 23), uma descarga elétrica atingiu algumas casas em Formoso do Araguaia – TO.  Como consequência, houve danos a eletrodomésticos e até início de incêndio.

Essa notícia me fez relembrar mais uma vez sobre a necessidade de nos preocuparmos com medidas de segurança durante as tempestades. Falei sobre o assunto nesse post, mas vou repetir algumas informações extremamente importantes:

1) Tirar todos os aparelhos eletroeletrônicos da tomada;

2) Não usar o telefone com fio. A descarga elétrica pode atingir a fiação elétrica da rua e o raio pode ser conduzido até o interior de casa. Inclusive, é bom retirar o telefone do plug também.

3) Se precisar falar com alguém por telefone, utilize o celular, lembrando que o celular não deve estar conectado ao carregador!

4) Se precisar trabalhar em um computador, utilize um notebook  (desconectado do carregador) e se precisar acessar a internet, prefira o sistema 3G, já que o roteador e o modem devem ficar fora da tomada ou do plug do telefone. Isso deve ser feito para evitar fatalidades, mas também para evitar danos ao patrimônio.

5) Abrigue-se: fique dentro de casa, dentro do apartamento ou dentro do carro. JAMAIS fique debaixo de árvores ou próximo a estruturas metálicas (cercas,antenas, torres de transmissão, etc)

6) Não praticar atividades ao ar livre, seja qual for: esportes, atividades agropecuárias, lazer, etc. Quando estamos em espaços abertos, há mais probabilidade de sermos atingidos por raios: praias, pasto, plantações, campos de futebol, etc.

7) Se não tiver como procurar um abrigo, deite no chão e encolha-se.

Agora que a Estação Chuvosa  começou em boa parte do Brasil, é importante repetir essas informações de segurança. Se você é professor, sugiro que trabalhe esse assunto com seus alunos para que eles possam transmitir essas informações para suas famílias e comunidade.

O Grupo de Eletricidade Atmosférica do INPE fornece uma ótima cartilha sobre o tema, em alta resolução, que pode ser distribuída entre os alunos. A cartilha em baixa resolução pode ser acessada aqui. Para solicitar a cartilha em alta resolução, clique aqui.

Para ler mais:

  • Notas de aula da disciplina de Eletricidade Atmosférica, do Prof. Carlos Morales
  • Relato de Maria Aparecida Bueno, uma segurança de um parque de São Paulo que foi atingida por um raio enquanto trabalhava, no dia 20 de fevereiro de 2011.