Guestpost: Meteorologia e Aviação, por Vinícius Roggério da Rocha



Muitos meteorologistas são fãs de aviação. E praticamente todos os aviadores são fãs de meteorologia. Esse casamento é natural, nem que seja apenas por interesses, já que temos a informação que os aviadores precisam.

O Vinícius Roggerio da Rocha é físico, possui mestrado em Meteorologia e assim como o Julius, ele tem dois empregos: trabalha no  Laboratório STORM-T (Sensoriamento Remoto de Tempestades Severas) do IAG-USP e é professor na Escola de Aviação CEAB 😂.
Assim como eu, ele adora divulgação científica e vê nos blogs uma oportunidade incrível para essa comunicação. Ele escreve no Monolito Nimbus, onde dá destaque principalmente para as aplicações da Meteorologia na Aviação. No entanto, ele também fala de temas variados, igualmente interessantes e importantes, como viagens, tecnologia e saúde.
Nesse guestpost gentilmente escrito para o Meteoropole, o Vinicius fala sobre o carro-chefe de seu blog: Meteorologia e Aviação. Vamos conferir 😃.
  ⚡⚡⚡
A Meteorologia Aeronáutica é o ramo das ciências atmosféricas aplicado à aviação com os objetivos de segurança, economia e eficiência das operações aéreas. É de fundamental importância o conhecimento das condições meteorológicas nos aeroportos e rotas de voo, como formação de nuvens, visibilidade, direção e intensidade do vento, formação de gelo, turbulência, tempestades, espalhamento de cinzas vulcânicas etc. Essas informações, tanto do tempo presente como sua previsão, permitem a realização ou cancelamento de voos, desvios de rota para aumentar segurança, reduzir o consumo de combustível, dentre outras ações.
Fonte: Phil Dolby
Fonte: Phil Dolby, Flickr



Desde o planejamento de um aeroporto, a Meteorologia está presente. Por exemplo, não é recomendado instalar o aeroporto em regiões com muita ocorrência de neblina. A redução de visibilidade impede a ocorrência de voos em visual, ou seja, em condições atmosféricas que permitem ao piloto controlar visualmente a altitude do aparelho, navegar e assegurar a separação de obstáculos, terreno e outro tráfego aéreo. O caso contrário (voo por instrumento), depende da formação do piloto, certificação da aeronave e do aeroporto, condições que nem sempre acontecem conjuntamente.

Também deve-se conhecer o clima da região para construir a pista  do aeroporto de modo que fique alinhada com a direção predominante do vento em superfície na região. O avião sempre deve decolar contra o vento, para ajudar na geração da força de sustentação que mantém o avião voando. Ventos laterais podem provocar inclinação lateral e acidentes, enquanto que o vento a favor pode até ajudar quando a aeronave está em rota, mas atrapalha para gerar sustentação quando o avião movimenta-se a baixas velocidades. Alguns vídeos impressionantes desses e outros efeitos do vento sobre as aeronaves podem ser vistos nesse post

Dentre os profissionais que se utilizam das informações do tempo, estão os despachantes operacionais de voo (ou DOVs), responsáveis pelos cálculos relacionados com carga, performance e navegação de grandes aeronaves. O desempenho de um avião está diretamente ligado com a densidade do ar, e portanto à sua temperatura. Já aconteceram vários casos em que a temperatura era tão grande que a decolagem teve de ser somente no período da noite. Isso porque quanto maior a temperatura, menor a densidade do ar e portanto menor a sustentação e o desempenho dos motores. Desse modo, exige-se uma distância maior para o avião ganhar velocidade e decolar. Como não dá para aumentar na hora o tamanho da pista, deve-se tornar o avião mais leve (mas quem vai querer deixar sua bagagem para trás?) ou esperar a temperatura diminuir.

A Meteorologia é uma das disciplinas que fazem parte dos cursos de piloto privado, piloto comercial e comissário de voo. Deve-se conhecer muito bem o ambiente de trabalho, ainda mais por sua hostilidade. Quanto mais alto se sobe, menor a temperatura e menor a quantidade de ar disponível para respiração e menor a pressão atmosférica sobre o corpo humano. Isso pode levar a várias complicações de saúde, gerando a necessidade do avião possuir uma pressão interna maior que a externa. Por isso é dito que um avião possui “cabine pressurizada” nesse caso. Praticamente todos os aviões comerciais atualmente são de cabine pressurizada, o que permite as pessoas viajarem com conforto e segurança, sem a necessidade de uma máscara de oxigênio na cara (somente em situações de emergência) e um super casaco para se proteger do frio dessa altitude, que chega a dezenas de graus negativos no exterior do avião. Veja mais sobre pressurização de aviões nesse link http://www.monolitonimbus.com.br/avioes-e-pressao-do-ar/

O comissário de voo (popularmente conhecido como “aeromoça” quando é do sexo feminino) é o profissional que atua a bordo de aeronave, zelando pela segurança e conforto dos passageiros. E quando se fala de segurança de voo, o ponto mais lembrado pelos passageiros é a turbulência: um fluxo irregular de ar que pode provocar balanços indesejáveis no avião durante o voo. Existem diferentes intensidades de turbulências, mas o avião possui estrutura resistente a ponto de se manter íntegro mesmo nas mais fortes sacudidas. Toda a tripulação também está preparada para essas situações. Aos que tem medo de voar, recomendo a leitura desse texto.

  ✈️✈️✈️✈️

O Vinicius me forneceu algumas imagens para ilustrar o post, mostrando sua paixão por aviação. Era para que eu escolhesse uma, porém gostei de todas e acredito que apaixonados por aviação também vão gostar e assim como o Vinícius, também vão querer visitar esses lugares.

Avião North American B-25J Mitchel (bombardeiro da 2ª Guerra Mundial) no Museu Eduardo Matarazzo em Bebedouro/SP.
Avião North American B-25J Mitchel (bombardeiro da 2ª Guerra Mundial) no Museu Eduardo Matarazzo em Bebedouro/SP.
F4U Corsair (avião de asa dobrável da 2ª Guerra Mundial) no Museu da TAM em São Carlos/SP
F4U Corsair (avião de asa dobrável da 2ª Guerra Mundial) no Museu da TAM em São Carlos/SP
C-130 Hércules (avião de transporte da FAB) no Museu Aeroespacial (Rio de Janeiro)
C-130 Hércules (avião de transporte da FAB) no Museu Aeroespacial (Rio de Janeiro)
 ✈️✈️✈️✈️
Espero que tenham gostado do guestpost do Vinícius. E se quiserem saber mais sobre o que o Vinícius compartilha, recomendo:
Vale conferir também a entrevista que concedi recentemente ao Vinícius. Na entrevista, falo sobre meu trabalho e sobre minha profissão. Falo também de meus posts sobre gravidez. A série A “Cientista” Grávida fez bastante sucesso, até hoje recebo menções e elogios 💙. Adorei o fato de Vinícius ter me perguntado a respeito disso.
chamada_entrevista