Jake Sisko x Wesley Crusher : adolescentes com papéis importantes na franquia Star Trek



Poltrona do Capitão James T. Kirk, que foi leiloada na Christie’s New York em 2006. Cortesia de Shutterstock

Recentemente vi o episódio DS9: “Nor the Battle to the Strong“, de Star Trek: DS9 e confirmei mais uma vez minha opinião de que Jake Sisko é bem mais interessante que Wesley Crusher (personagem de Star Trek TNG). Claro que essa é minha opinião particular, levando em consideração aquilo que eu julgo ser interessante. Mas essa observação surgiu a partir de algumas comparações entre os personagens e pretendo compartilhá-las aqui.

Acompanhem meu post.

Similaridades

  • Ambos perderam um dos pais em cedo: Jake perdeu a mãe aos 11 anos e Wesley perdeu o pai aos 5 anos. Nos dois casos, os pais morreram em consequência de seu trabalho na Federação. A mãe de Jake (Jennifer Sisko), apesar de não ser da Frota Estelar, morreu durante um ataque borg na USS. Saratoga, onde Benjamin Sisko (pai de Jake) estava designado como Tenente Comandante. O pai de Wesley também era da Frota Estelar e morreu enquanto realizava seu trabalho.
  • Ambos não tem muita escolha, pois precisam acompanhar seus pais nos trabalhos em que eles são designados. A mãe de Wesley é médica da Federação (Beverly Crusher) e o pai de Jake (Benjamin Sisko) é o Comandante da Federação responsável pela Deep Space 9.
  • No início da série, ambos são pré-adolescentes ou já adolescentes. Ao longo da série vemos seus conflitos típicos dessa difícil fase a vida e acompanhamos suas escolhas profissionais.
  • Ambos adiaram um pouco o início de suas instruções “convencionais”. Falarei mais desse tópico ao longo do texto.
  • Ambos conseguem “ver” os pais mortos. Wesley consegue ver seu pai através de uma mensagem em holograma deixada por ele. E Jake consegue conversar e interagir com sua mãe, embora não seja exatamente sua mãe (é a Jennifer Sisko do universo paralelo, que não teve filhos).

Comparações e opiniões pessoais:

Perder um dos pais é uma experiência extremamente traumática. No entanto, pelo que já conversei com amigos e familiares que passaram por essa experiência quando eram crianças, perder a mãe me parece algo muito mais traumático e com impacto muito maior, dada a proximidade maior que normalmente as pessoas tem com suas mães. Uma vez, li algo interessante: quando a mãe morre, a casa perde a vida. Nas cenas da primeira temporada de DS9, observamos que o alojamento de Jake e seu pai é um local triste. Talvez porque eles estão se mudando para aquela construção cardassiana, que não atende aos confortos mínimos esperados pelos humanos. Mas a adaptação não é apenas ao local: é uma adaptação a nova vida, sem a presença da mãe (Jennifer Sisko) que morreu não faz muito tempo.

Por outro lado, considerando a primeira temporada de TNG, o pai de Wesley Crusher morreu há um pouco mais de tempo, dando tempo de cicatrizar melhor as feridas da família. Além disso, a USS Enterprise é uma nave construída pela Federação, atendendo assim todos os requisitos de conforto. Podemos então dizer que Wesley Crusher se encontra numa situação mais confortável que Jake Sisko.

Outra questão é com relação a escola. Wesley Crusher tem acesso a uma escola bem estruturada na USS Enterprise. A escola da DS9 é praticamente improvisada, que só funciona graças aos esforços de Keiko O’Brien. A escola da DS9 chega a ser atacada por religiosos. A minha impressão é que para estudar na Enterprise, há menos obstáculos do que para estudar na DS9.

Uma coisa interessante na franquia é que apesar da presença de escolas e professores, as pessoas cultivam muito a auto-instrução. A profissão do educador, ao meu ver, não é substituível pela máquina, uma vez que há um importante elemento afetivo que aliado ao cognitivo, permitem o prazer ao aprender.

Figura da Madrasta/Padrasto

Apesar de Beverly Crusher ter outros interesses românticos após a morte de seu marido (um deles inclusive é o próprio Capitão Jean-Luc Picard), ela não se casa. Wesley até vê uma espécie de “figura paterna” em Picard, que conheceu seu pai. No entanto, Picard não tem muita paciência com crianças e adolescentes. O jovem Wesley não se intimida com a frieza de Picard e acaba até perturbando o capitão.

Quando Jake tem por volta de uns 18-20 anos, seu pai casa-se novamente com Kasidy Yates. Ele inclusive conhece a madrasta antes mesmo de seu pai, sendo responsável por apresentá-los. Ele vê na madrasta uma figura de profunda amizade, podemos dizer que há quase uma relação de mãe e filho adulto. Falei um pouco da relação deles nesse post, onde menciono outras mães de Star Trek.

Wesley Crusher: o menino mágico com habilidades especiais

Wesley é um menino superdotado, extremamente inteligente e que aprende as coisas rapidamente. Ele convive diariamente com adultos, é muito raro vê-lo conversando com pessoas da idade dele. Ele não parece ter um melhor amigo de sua idade, como Jake (seu melhor amigo é Nog, sobrinho de Quark, dono do bar).

Devido suas habilidades especiais, Wesley acaba sendo até inconveniente, interrompendo atividades na ponte. Observo que Wesley é inclusive deus ex-machina da série em algumas ocasiões, devido essas habilidades especiais.

Jake, por outro lado, é um “menino mais real”. Ele dá trabalho na escola, seu pai precisa “pegar no pé” dele. Seu pai também tem preocupação com suas companhias, seja preocupado com sua amizade com Nog (um ferengi, cultura que não valoriza a instrução formal e valoriza o ‘jeitinho’) ou com seus relacionamentos amorosos.

Jake ficou inclusive “órfão” em uma linha do tempo alternativa

Há um episódio em que Benjamin Sisko desaparece em um acidente e é tido como morto. No acidente, Ben Sisko foi transportado para um ‘universo paralelo’ onde o tempo anda muito mais devagar e eventualmente ele ‘reaparece’ e ‘desaparece’, emocionando Jake Sisko. Nesses aparecimentos e desaparecimentos, ele consegue acompanhar a vida de Jake até sua velhice, acompanhando seu sucesso como escritor , seus dissabores, sua esperança de trazer o pai e sua mudança de carreira. É um episódio lindo, que mostra o amor e a ligação entre pai e filho (DS9: “The Visitor“).

Claro que as mudanças não são definitivas nesse episódio, trata-se apenas de uma linha do tempo alternativa. No entanto, a gente nota a questão do adolescente órfão, do menino sem referências, sem saber exatamente o que quer da vida, sentindo sua vida jogada de um lado para o outro.

Jake enfrenta mais a “vida real” e tem maior contato com a diversidade cultural

A DS9 é extremamente movimentada. Jake tem a oportunidade de conhecer muitos indivíduos, tendo contato com humanóides e outras formas de vida de diversos cantos da galáxia. Jake também atua como paramédico e jornalista de guerra, vendo de perto toda sorte de tristezas e horrores de uma situação de armistício. E ele passa por tudo isso antes dos 20 anos. Certamente esse acúmulo de experiências possibilitaram que ele pudesse se tornar um escritor aclamado.

Wesley, por outro lado, acaba ficando na própria Enterprise e sempre convivendo com as mesmas pessoas. Claro que há toda a movimentação dentro de uma nave estelar. Eventuais conflitos e desafios diplomáticos são presenciados pelo jovem, situações que certamente moldaram sua escolha em seguir carreira na Frota Estelar.

Ambos adiaram sua instrução formal

Wesley começou seus estudos da Academia da Frota Estelar dentro da própria USS. Enterprise. Ou seja, ele nem precisou, em um primeiro momento, ir para a Terra. Nog (amigo de Jake), por outro lado, fez seus testes de admissão para a Frota Estelar na DS9, porém logo teve que iniciar seus estudos na Terra. Logo vemos que Wesley teve acesso a um privilégio raro, talvez dado a ele por tratar-se de um garoto superdotado e por já pertencer a uma família com tradição na Frota Estelar. Pois é, nem sempre a Frota Estelar é totalmente justa. Entretanto, após passar um tempo na Enterprise, Wesley teve que ir para a Terra continuar seus estudos na Academia da Frota Estelar, como qualquer outro cadete.

Jake recebe uma bolsa para estudar em uma renomada escola de escrita e literatura na Nova Zelândia. Ele adia essa bolsa e pretende aceitá-la no ano seguinte. Segundo o raciocínio de Jake, um escritor precisa de experiência pessoal e vivência para ter material para escrever. Por isso ele decide ficar na DS9, para adquirir essa bagagem. Nesse período, ele começa a escrever, mas vê seus planos sendo alterados: torna-se paramédico em um conflito, escreve a respeito de sua experiência e depois vira jornalista de guerra.

Conclusão

Na minha opinião,  Jake Sisko é uma pessoa mais “real”, no sentido de que é um adolescente normal (prega peças, fica de castigo, tem amizades de caráter duvidoso, etc) e é uma pessoa que passou por experiências mais variadas do que Wesley. A sensibilidade de Jake também parece ser mais aflorada, tanto que ele escolheu a escrita como profissão. Jake presenciou os horrores da guerra, o que certamente transforma qualquer ser humano.

Jake também tem mais sucesso nos relacionamentos românticos. Não se intimida ao se aproximar de mulheres mais velhas e trata relacionamentos amorosos com mais naturalidade. Wesley é tímido e parece ter dificuldade nessa área.

Wesley é mais protegido e ele é tido como um garoto único, singular, superdotado. Essas características o tornam fantástico, porém inatingível. Em outras palavras, acho muito mais fácil se identificar com Jake do que com Wesley.

Tanto o pai de Jake quanto a mãe de Wesley tem posturas semelhantes na criação dos filhos, dando a eles certa autonomia e independência. Por várias vezes, tanto Jake quanto Wesley ficam sozinhos na DS9 e na Enterprise respectivamente, em decorrência das ausências de seus pais devido ao trabalho.  Jake inclusive vai morar “sozinho” (vai na verdade dividir um alojamento com Nog) na própria DS9. Ou seja, embora ele e seu pai vivam na mesma Estação Espacial, eles percebem que Jake merece conquistar uma independência compatível com sua idade.

Bom, vocês certamente já sabem a minha escolha com relação ao meu ” personagem adolescente favorito”: Jake Sisko, sem sombra de dúvidas.

Certamente me esqueci de algumas coisas nessa breve análise. Portanto, se você tem algo a acrescentar, fique a vontade para fazê-lo nos comentários.

 🌠🌠🌠

Espero que tenham gostado do post! Eu aproveito o finalzinho aqui para falar que o blog só retornará a sua programação normal na próxima quinta-feira, pois é Carnaval! 🇧🇷🕶✨

Aproveitem o feriado com consciência e sabedoria, assim como Quark.