O céu e a flor de íris: Oscar-Claude Monet

Íris são essas flores delicadas, normalmente nas cores amarela ou lilás. Fonte: Shutterstock

Eu falei um pouco sobre Oscar-Claude Monet (ou simplesmente Monet) nesse post, onde também conto porque ele é de certo modo considerado como o fundador  do Impressionismo. E claro, ele é um dos nomes mais famosos desse movimento.

Recentemente, enquanto fazia algumas pesquisas sobre esse artista, conheci dois de seus trabalhos que me chamaram muito a atenção:

Íris amarelas e nuvem rosada. Claude Monet (aprox 1914-1917). Coleção Particular.

Irises amarelas 3. Claude Monet. Paris, Musée Marmottan

Nas duas pinturas, as íris amarelas são destaque e ocupam a linha central do trabalho. O céu é representado e nos dois casos, temos a presença de nebulosidade. O azul mais escuro do primeiro quadro e o próprio título do trabalho (que fala de ‘nuvem rosada’) nos levam a concluir que a pintura foi feita no final da tarde ou início da manhã, quando temos um efeito de “céu rosado” (falei um pouco disso nesse post).

No segundo quadro, aparentemente o Sol está ‘mais alto’ no céu, o que sugere que é mais cedo. Temos também a presença de muitas nuvens.

Uma coisa que “aprendi” meio que intuitivamente ao ler a respeito de impressionismo e ao apreciar as obras como uma mera leiga em artes que sou, é que os quadros fazem mais sentido e ficam até mais bonitos se apreciados de longe. Olhando de perto, notamos as pinceladas rápidas e bruscas e não temos uma ideia da visão geral que o artista quis nos mostrar.

Para saber mais sobre as flores íris e até para se aventurar em cultivá-las, clique aqui.

Para saber mais sobre o Impressionismo e para pesquisar sobre os principais artistas e obras de arte do movimento, clique aqui.