A Meteorologia de Ferenginar



Em 2014, comecei uma série muito interessante, mas que deixei adormecida e pretendo retomá-la em 2017. Trata-se da série “Meteorologia de: _____”, série na qual falo um pouco sobre a atmosfera de alguns planetas, planetas reais ou da ficção.

Nessa série, já falei da Meteorologia de Qo’nos e da Meteorologia de Vulcano. Hoje vou falar de mais um mundo do universo Star Trek, trata-se de Ferenginar, o mundo dos Ferengis.

Quem já acompanhou os outros posts da série já percebeu que uso bastante a minha imaginação (nos casos dos mundos da ficção). Sempre tento comparar com a Meteorologia da Terra ou com o que sabemos sobre plantas do Sistema Solar ou exoplanetas. De certo modo, apesar de usar muitas informações das séries, filmes e livros, uso um pouco de minha imaginação. Então temos aqui um pouco de fanfic. Relevem.

Vamos ao que interessa, vamos falar da atmosfera de Ferenginar. 

Chuva o tempo todo

Quem mora no extremo norte da Região Norte do Brasil e na Amazônia Ocidental certamente sabe o que significa chuva quase todos os dias do ano. Inclusive nesse post, em que mostro os gráficos de precipitação de toda a América do Sul, podemos ver como o norte da América do Sul se destaca nas médias mensais de chuva, que são médias bem mais altas que outras regiões do continente. Além disso, não vemos completamente marcada uma “estação chuvosa”, uma vez que chove bastante em todos os meses do ano.

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) tem um importante papel nessas chuvas. A ZCIT consiste na região em que os ventos alíseos convergem. E onde há convergência de vento, o ar é forçado a subir. Bom, considerando que essa região é quente e o ar da região é bastante úmido, esse ar quente e úmido que é forçado a subir acaba formando nuvens de tempestade.

Dessa maneira, nas regiões tropicais do planeta, principalmente bem na proximidade da Linha do Equador, temos ecossistemas bastante característicos. São as Florestas Tropicas e Equatoriais. É aquela vegetação verde escura, bastante exuberante e com um ecossistema riquíssimo em biodiversidade. Sim, são as típicas paisagens da Floresta Amazônica, com árvores sempre verdes, tudo sempre com “aspecto molhado”, regiões pantanosas, muitos rios perenes com muita, muita água.

Ah sim, e por ecossistema riquíssimo em biodiversidade, certamente estou falando também em insetos. O calor e a umidade favorecem a reprodução dos insetos, então normalmente locais mais quentes e úmidos são infestados por insetos de todos os tipos.

Aos biólogos e geógrafos, perdoem pela minha descrição superficial. Mas quem é fã de Star Trek já deve estar entendendo onde quero chegar. Vamos ao ponto: Ferenginar é muito semelhante a uma Floresta Tropical! Bom, pelo menos no que diz respeito a chuva. A vegetação de Ferenginar é diferente.O planeta é conhecido por ter quase chuvas torrenciais constantes em todo o planeta, vegetação podre e rios de lama. O planeta é um pântano, consigo imaginar o cheiro forte típico de pântanos, mangues e ecossistemas parecidos aqui na Terra. Lembrando que normalmente chove bastante em regiões pantanosas também.

 

Cena de um dia típico em Ferenginar. A torre em destaque é a Torre do Comércio. Muita chuva e clarões de relâmpagos. As construções de Ferenginar são feitas para suportarem as chuvas quase que constantes. São em geral, construídas sob domos.

Quando imaginavam como Ferenginar deveria ser, os roteiristas decidiram descrever o planeta com um clima úmido. Quem é fã da série já reparou que normalmente os planetas são secos e quentes, como Vulcano, por exemplo. Ou seja, os roteiristas quiseram fazer algo bem diferente do que já havia sido retratado pela série.

Trata-se de um planeta de Classe M, apesar da umidade extremamente incômoda para quem não é Ferengi. Observando a anatomia dos ferengis e usando um pouco de “viagem e fanfic” de minha parte, talvez seja por isso que os ferengis tenham aquela pele “esticada e brilhosa”. Inclusive outros personagens da série (os que não são ferengis) usam o termo toad (sapo) para se referirem aos ferengis de maneira preconceituosa. Ora, sapos preferem justamente locais bastante úmidos.

Mapa de Ferenginar. Trabalho feito por fãs, divulgado na Memory Beta (wiki dos fãs de Star Trek). Achei o mapa interessante pois mostra Ferenginar com um único continente, com montanhas ao norte e ao sul. Fico imaginando a umidade concentrada na parte central (equador de Ferenginar, estou supondo um mapa de projeção equatorial).

No episódio Family Business, o planeta é descrito como um “pântano fétido com chuvas torrenciais sem fim”. E no episódio Let Him Who Is Without Sin…, em que Quark vai para Risa, ele afirma que há 178 palavras para descrever chuva no idioma Ferengi. Ou seja, chuva lá é coisa séria! Basta comparar com o povo inuíte, que tem diversas palavras para descrever neve e gelo, uma vez que esses elementos fazem parte do local onde habitam.

I’ve seen drier days on Ferenginar. And we have a hundred seventy-eight different words for rain. Right now it’s glebbening out there. And that’s bad.

Curtindo a vida adoidado em Risa

Outro elemento curioso na série é que os Ferengis se alimentam de  lesmas e besouros. Esses animais são abundantes em locais úmidos. Inclusive quando Nog vai para a Terra estudar na Academia da Frota Estelar, ele vai até o restaurante do Sr. Joseph Sisko (pai do Comandante Benjamim Sisko), que fica em Nova Orleans (cidade que é bastante úmida). E ele vai lá justamente porque o Sr Joseph Sisko fornece lesmas e besouros que ele tanto gosta.

Uma outra cena importante é no episódio The Ascent em que Quark e Odo sofrem um acidente e precisam fazer um pouso de emergência em um planeta muito inóspito, muito frio e aparentemente muito seco. Os dois sofrem muito, se machucam e em uma determinada cena, Quark está com tanta fome que gostaria de encontrar uma lesma.

Saiba mais em: