Dúvida da leitora: de engenheira para meteorologista



Escolher uma profissão é sempre complicado. Mas será que é um destino traçado para sempre, gravado em madeira? Será que não podemos mudar de profissão? Eu tive muitas dúvidas sobre a escolha de minha profissão, Meteorologista. Vamos falar mais uma vez sobre o assunto. Cortesia de Shutterstock

Recebi uma dúvida da leitora Mariana e gostaria de comentar aqui. Então vamos 😉

Me formei em Engenharia Civil no fim do ano passado, e agora estou pensando em cursar Meteorologia porque sempre foi uma área que gostei e pensei em cursar assim que terminei o colégio, mas acabei optando por engenharia por ser uma área mais em alta na época.
Porém, não é mais o caso atualmente rs, então gostaria de mudar de área, e penso em meteorologia por ser uma que sempre me interessou muito.
Mas, como sou de São Paulo, minha única opção é a USP, e como estou enferrujada nesses assuntos de vestibular, gostaria de saber se tem algum curso técnico de meteorologia aqui na capital (vi seu post “Onde posso estudar meteorologia?”, mas nenhum deles é perto pra mim), ou até mesmo se eu poderia atuar na área fazendo apenas pós-graduação em meteorologia.
Também queria saber se você sabe como funciona pra saber se posso eliminar algumas matérias que já cursei na engenharia, como cálculo, físicas, entre outras.
Como você mesma diz aqui em seu blog, não temos muitos meios de informações sobre a área de meteorologia, então gostaria de saber a sua opinião/conselho já que você é uma profissional da área.
Parabéns pela iniciativa do blog, e por disseminar esse assunto tão interessante mas, infelizmente, tão pouco falado e subestimado.

Obrigada pela atenção 🙂

Mariana, vamos por partes. Em primeiro lugar, gostaria de agradecer pelo e-mail e por confiar que de alguma forma, eu possa te ajudar. Obrigada também pelos elogios e eu sempre fico muito feliz ao saber que alguém visitou meu blog e gostou das informações que divido por aqui.

Decidi publicar a resposta aqui porque eu acredito que posso dar uma pequena luz (uma lamparina, na verdade) para quem está pensando em mudar de profissão.

Você falou que prestou Engenharia porque estava em alta quando prestou. Bom, pelo o que entendi, você foi bem, concluiu a graduação. Mas sua decisão foi “arriscada” porque o mercado é assim mesmo: em um determinado momento, uma profissão está mais em alta do que outras. E depois o jogo vira. É assim. Há alguns anos (mais ou menos no começo dos anos 2000) quem se formava como Meteorologista estava bem, já que o mercado estava procurando os profissionais. Inclusive alguns concursos públicos abriram na época, empresas privadas estavam indo bem e estavam contratando. Depois disso, eu observei (vejam, é minha percepção!) que o mercado deu uma caída.

E gente, nesse post em em alguns outros eu sempre ressalto a importância de se re-inventar. Ter dúvidas com relação a carreira é comum, seja aos 20 e poucos ou aos 40 e poucos. Por isso temos que ter coragem para fazer cursos novos, empreender, procurar uma ajuda especializada (coaching profissional, por exemplo) para tentar colocar os pingos nos i’s e buscar algo que realmente preencha e satisfaça, se é que isso é possível, já que não existe carreira perfeita. Temos um pensamento equivocado que é o de olhar para o outro e achar que a grama dele está mais verde. Com as redes sociais, fica ainda mais fácil olhar para a grama do vizinho. Temos que tomar muito cuidado para não cair nessa armadilha!

Vi essa imagem aqui e achei a reflexão bastante oportuna.

Mariana, se você quer mesmo cursar Meteorologia, faça! Como graduada em Engenharia, é muito possível que você vai poder eliminar algumas matérias do ciclo básico (Física, Cálculo, algo na área de programação, etc), mas eu não posso garantir com certeza quais matérias você vai poder eliminar. No ato da matrícula do curso de Meteorologia, você vai apresentar seu histórico do curso de Engenharia e esse será analisado por uma comissão que vai decidir quais matérias serão eliminadas. Essas matérias terão que ter conteúdo programático e carga horária semelhantes àquelas que os alunos de Meteorologia cursam. Sendo assim, quem vai decidir isso, será a comissão de graduação da Universidade em que você cursará Meteorologia.

Você também pode fazer uma pós-graduação em Meteorologia. Até onde eu tenho informação, parece que só existe pós-graduação stricto sensu em Meteorologia (ou seja, Mestrado ou Doutorado). Esses cursos são ministrados nas mesmas instituições onde existem os cursos de graduação (falei aqui), mas também há cursos de pós-graduação em áreas correlatas à meteorologia dentro dos departamentos de Física de outras Universidades e no INPE. Quem tem pós em Meteorologia não pode assinar como Meteorologista (leia aqui sobre a regulamentação profissional). Como Engenheira Civil, você pode ter um CREA nessa área. Se fizer pós em Meteorologia, não vai poder ter um CREA como Meteorologista! Para ter um registro profissional no CREA como Meteorologista, é necessário fazer um Bacharelado em Meteorologia. No entanto, com pós graduação em Meteorologia você poderá fazer pesquisas acadêmicas e dar aulas na área.

E não há curso técnico em Meteorologia em São Paulo-SP, conforme coloquei nesse post. Se quiser cursar meteorologia em nível técnico, terá  que morar no Rio de Janeiro ou em Florianópolis.

Espero ter te inspirado e ter te ajudado na sua decisão. Adquirir conhecimento é sempre importante, no entanto a gente tem que conciliar isso com a prática. Tente, por exemplo, procurar estágios em empresas de Engenharia que realizem algum estudo ambiental que dependa de Meteorologistas. Ou seja, tente se colocar no mercado de trabalho em empresas onde você vai poder dialogar com meteorologistas. Acho isso muito importante também, pode ajudar na sua decisão. De repente, você pode estagiar/trabalhar em Engenharia enquanto cursa matérias de Meteorologia. Essa sugestão pode ajudá-la em sua tomada de decisão.