Um grande abraço para as donas de casa!



Donas de casa, sempre na correria! Cortesia de Shutterstock

Fui criada por uma mãe maravilhosa, que é dona de casa em tempo integral. As circunstâncias a levaram a ser dona de casa, como tantas mulheres no Brasil. Ser dona de casa não é fácil: o serviço nunca acaba. Porém, o que mais entristece as donas de casa não é o serviço em si, mas é a falta de colaboração e de reconhecimento. Marido, filhos e filhas que não colocam as coisas nos seus devidos lugares, que não reconhecem quando a casa está limpa e a comida está gostosa.

Aqui precisamos entender que todas nós, que somos casadas e temos filhos, somos donas de casa. Até mesmo você que talvez more sozinha ou com seus pais, também deve atuar como dona de casa. A questão é que algumas de nós somos donas de casa em tempo integral e outras também trabalham fora de casa e são donas de casa em tempo parcial.

Eu tenho a opinião de que o feminismo favoreceu o pensamento de descaso e desconsideração com as donas de casa.  Vou separar duas frases de autoras feministas, que ilustram esse pensamento:

“Dona de casa são criaturas dependentes que ainda são crianças … parasitas.” Gloria Steinem

“Um parasita sugando a força viva de um outro organismo … o trabalho (da dona de casa) não visa a criação de qualquer coisa durável …. Trabalho da mulher dentro de casa não é diretamente útil à sociedade, não produz nada. (…) está subordinada, é secundária, é parasitária. É para o seu bem-estar comum de que a situação deve ser alterada, proibindo o casamento como uma “carreira” para a mulher. “ Simone de Beauvoir, O Segundo Sexo, de 1949.

O trabalho da dona de casa foi alvo de tanto desrespeito que nos dias de hoje é comum ouvirmos injustiças terríveis, como:

    • “ah, ela não faz nada”
    • “ah, ela é sustentada pelo marido”

É necessário primeiro compreender que muitas vezes as pessoas julgam. E emitem opinião sem qualquer fundamento. E outra coisa: como em qualquer ocupação, há pessoas que não trabalham direito. Não generalizem, pois raramente conhecemos o outro em seu íntimo.

Ao ler a declaração do presidente em exercício Michel Temer referente ao Dia Internacional da Mulher, fiquei tentando entendê-la. Vou separar algumas frases do presidente em exercício e fazer alguns comentários a respeito delas:

“Na economia também a mulher tem grande participação. Ninguém mais é capaz de indicar os desajustes de preços no supermercado do que a mulher.”

Sim, ele está bem desatualizado. Há mulheres no mercado de trabalho, grandes economistas. Mas ainda há muitas donas de casa em tempo integral que fazem MALABARISMOS para que a conta feche no fim do mês. Verdadeiras ‘Sinhá Vitória’, contadoras do lar. Vá até uma feira livre e observe o perfil dos compradores. Ao meu ver, ele não disse que a mulher SERVE APENAS PARA INDICAR PREÇOS DE COMPRAS, ele deu apenas um EXEMPLO. Um exemplo INCOMPLETO, mas que atende o que é observado em vários lares, mesmo que a mulher não seja dona de casa em tempo integral.

“Eu tenho a absoluta convicção, até por formação familiar, por estar ao lado da Marcela, o quanto a mulher faz pela casa, o quanto faz pelo lar, o quanto faz pelos filhos.”

Óbvio que a Dona Marcela não representa a dona de casa brasileira média. Ela tem empregados e todo o conforto que a maioria de nós sequer consegue vislumbrar. Mas sim, a dona de casa em tempo integral faz muito pelo lar e pelos filhos. Se não fosse minha mãe, eu não seria nada. Claro que há mulheres que trabalham fora e são igualmente boas mães, cada família tem seu arranjo e suas necessidades.

“Acompanhado da primeira-dama, Marcela Temer, o presidente também afirmou no evento desta quarta no Planalto que, se a sociedade “vai bem”, é porque as pessoas tiveram uma formação adequada em casa, e “isto quem faz não é o homem, quem faz é a mulher”.”

Pais presentes e atuantes fazem sim uma ENORME diferença na criação dos filhos. Na maioria dos casos, pelo o que eu observo, há uma grande diferença entre ser órfão de mãe e ser órfão de pai. Como cristã, ainda cito um versículo:

Provérbios 14:1 A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata destrói o seu lar.

Em geral, a criança tem uma enorme ligação com a mãe. Tanto o pai quanto a mãe tem responsabilidades na criação da criança, temos que ser exemplo e modelo. No entanto, a força da ligação com a mãe é tão grande que quando leio sobre perfis de psicopatas em livros ou programas do gênero (eu gosto desse tema, vai entender rs), observo que muitos psicopatas tem a presença de uma mãe com vida muito desregrada (óbvio que não é regra, pelo amor de Deus).  Na minha opinião, uma família bem estruturada sempre tem a presença de uma mulher forte. Pode ser uma avó ou uma tia também, por exemplo.

O presidente fez um discurso para agradar a maioria dos lares brasileiros.  Não foi um discurso perfeito, foi datado em alguns pontos, ultrapassado. Mas vejam, as feministas não dizem que devem empoderar todas as mulheres? Uma dona de casa também pode e deve ser empoderada. Fazer cursos, voltar a estudar, ler bastante, informar-se, etc. Se quiser ou precisar ser dona de casa, que continue sendo! Mas pode ser um ser humano mais culto e com ideias. Um crescimento que todas nós devemos buscar.

O que vejo é que muita gente reclama de falas como as do presidente, mas foi criado por uma dona de casa. Uma enorme incoerência e até certo ponto, uma grande ingratidão. Alguns provavelmente ainda vivem sob esse teto administrado e bem cuidado por essa mulher. Talvez até nem ajudem nas tarefas domésticas.

Uma dica para as moças que ainda não constituíram família: mesmo que você trabalhe fora, vai continuar sendo dona de casa, porque um lar precisa ser cuidado. Isso não tem nada a ver com fazer TODO O SERVIÇO da casa, até porque muitas de nós trabalhamos fora e devemos ter a ajuda dos maridos. E precisamos incutir nos filhos essa necessidade de ajudar e contribuir. Administrar um lar é muito mais do que fazer o serviço da casa.

Valorize as donas de casa que você conhece. E se você está me achando MACHISTA ou DONA DO FÃ CLUBE DO TEMER por causa desse texto, não me importo pois eu sei quem eu sou. Não vou cair mais nesse “conto da esquerda” ou “conto da militância” que faz de mim um ser humano horrível só porque ouso discordar de alguns pontos ou emitir uma opinião contrária.

Eu trabalho fora de casa também. Sou uma pessoa super a favor de que a mulher trabalhe fora de casa, de que ela estude e adquira conhecimento. Fico triste quando leio sobre casos de nações em que as mulheres são impedidas de adquirir instrução formal. No entanto, eu lamento que o feminismo tenha de certo modo fomentado esse descaso com a dona de casa.

💗💗💗

Eu tinha postado esse texto no meu perfil do Facebook, fechado para amigos. Eu editei e postei aqui, para que mais pessoas leiam minhas palavras e se identifiquem, discordem, etc. Se você é dona de casa e chegou até meu blog pois está ajudando seu filho em uma tarefa escolar ou está buscando conhecimento para si mesma, sinta-se abraçada.