Fenômeno incomum nos céus de Tocantins deixa moradores intrigados



O que será que andaram vendo nos céus de Tocantins? Cortesia de Shutterstock

O Eduardo S. Ries, um leitor do blog e assíduo participante da nossa fanpage, me mandou um link com um vídeo de um interessante fenômeno que ele registrou em Palmas, capital do lindo Estado de Tocantins.

Abaixo, o vídeo do Eduardo:

O fenômeno que o Eduardo registrou no último domingo dia 23 foi o que muitos chamam de arco-íris de fogo. Tecnicamente, o que temos é o fenômeno de irisação ou nuvens iridescentes. Os três termos são praticamente sinônimos.

Os moradores de Palmas ficaram encantados e intrigados com o fenômeno, que foi notícia em alguns portais. Eu já falei desse fenômeno em outros posts daqui do Meteorópole, como nesse do final do mês passado. Destaco o trecho que explica o fenômeno:

Na verdade, as nuvens iridescentes não são um tipo especial de nuvens (como as nuvens mesosféricas ou nuvens noctilucentes): são apenas nuvens que sofreram o processo de iridescência, independentemente de sua classificação, embora o fenômeno normalment é observado associado a nuvens altocumulus, cirrocumulus, cirrus e nuvens lenticulares (Altocumulus lenticularis).

A iridescência é um fenômeno de difração, causado pelas gotículas d’água e cristais de gelo que compõe a nuvem. Cada um desses elementos desvia a luz individualmente. Em nuvens Cirrostratos, os cristais de gelo são um pouco maiores e temos um fenômeno de difração um pouco diferente, que são os halos.

Denomina-se difração o desvio sofrido pala luz ao passar por um obstáculo, com as bordas de uma fenda ou um anteparo (veja mais aqui).

Esse fenômeno normalmente ocorre quando a nuvem está próxima do disco solar e é mais fácil de ser visto quando o disco solar está oculto.

Sendo assim, é um fenômeno incomum e até certo ponto, difícil de ser observado (deve-se ter o tipo “certo” de nuvem, o disco solar e a nuvem devem estar com um posicionamento específico, etc), mas não é um fenômeno milagroso (claro, cabe a cada um sua interpretação pessoal) ou um fenômeno do tipo OVNI, já que temos uma explicação conhecida para ele.

Além disso, a vida que levamos hoje em dia é mais interna, muitos de nós trabalhamos e estudamos em espaços fechados. Eu sempre digo por aqui que acho que nós paramos de apreciar a vida ao ar livre, infelizmente.

Obrigada pelas imagens, Eduardo!