Cb com irisação em Mogi das Cruzes



O Daniel Félix, querido amigo dos tempos de graduação em Meteorologia, me mandou algumas fotos muito bonitas. Trata-se de um Cb (Cumulonimbus) com o fenômeno de irisação em seu topo. As imagens foram feitas em 29/12/2016 em Mogi das Cruzes pelo próprio Daniel:


O fenômeno de irisação é um lindo fenômeno que já foi destacado aqui no Meteorópole em algumas ocasiões. Em outro post recente, falo do registro do fenômeno em Palmas, Tocantins. Nesse post, falo de outra imagem enviada por um leitor em que o fenômeno também é presente. Destaco abaixo o trecho em que dou uma breve explicação sobre o fenômeno:

Na verdade, as nuvens iridescentes não são um tipo especial de nuvens (como as nuvens mesosféricas ou nuvens noctilucentes): são apenas nuvens que sofreram o processo de iridescência, independentemente de sua classificação, embora o fenômeno normalment é observado associado a nuvens altocumulus, cirrocumulus, cirrus e nuvens lenticulares (Altocumulus lenticularis).

A iridescência é um fenômeno de difração, causado pelas gotículas d’água e cristais de gelo que compõe a nuvem. Cada um desses elementos desvia a luz individualmente. Em nuvens Cirrostratos, os cristais de gelo são um pouco maiores e temos um fenômeno de difração um pouco diferente, que são os halos.

Denomina-se difração o desvio sofrido pala luz ao passar por um obstáculo, com as bordas de uma fenda ou um anteparo (veja mais aqui).

Esse fenômeno normalmente ocorre quando a nuvem está próxima do disco solar e é mais fácil de ser visto quando o disco solar está oculto.

O fenômeno também é chamado por alguns de arco-íris de fogo. Como todo fenômeno meteorológico incomum, sempre surgem intepretações pessoais (sinal de Deus, sinal do Universo, etc). Outros ainda preferem a interpretação de que é algo relacionado com OVNI’s. Bom, o fato é que trata-se de um fenômeno com uma explicação física conhecida e isso não é incompatível com sua beleza, pelo contrário: o fato de podermos saber como ele se forma o torna ainda mais bonito.

O Félix se lembrou dessas imagens quando viu esse post na fanpage do blog. O fato de ter amigos meteorologistas que acompanham meu trabalho aqui no Meteorópole é muito especial para mim, pois escrevo o Meteorópole pensando mais no público que não é meteorologista. Saber que há colegas que acompanham meu trabalho é bacana, pois eles podem me ajudar a corrigir ou acrescentar algo quando necessário. Podem inclusive me ajudar a explicar algo de maneira diferente ou usando outras palavras para facilitar a compreensão. Portanto, se você é meteorologista e chegou até meu blog, saiba que sua contribuição é bem-vinda.

Obrigada, Félix.