Como consultar a previsão do tempo?



Acho que o título completo poderia ser: como consultar a previsão do tempo para extrair a melhor informação possível?

Esse guia é para você que pretende organizar uma atividade comum (uma viagem, um passeio ao ar livre, um churrasco ou uma festa, por exemplo) e compreende que a previsão do tempo é uma fundamental ferramenta para o planejamento de sua atividade, porém ela apresenta algumas limitações e vamos falar sobre tudo isso.

Vamos colocar a ciência ao nosso favor no dia a dia!

Como consultar a previsão do tempo da maneira mais eficaz possível?
Cortesia de Shutterstock

Como é feita a previsão do tempo?

A previsão do tempo é um conjunto de procedimentos com o objetivo de fazer um prognóstico das condições meteorológicas de um determinado instante no futuro.

Eu diria que o ponto central da previsão do tempo, nos dias de hoje, são os modelos meteorológicos. De maneira bem simplificada, um modelo meteorológico é um conjunto de algoritmos computacionais que resolvem as equações que descrevem a atmosfera.

A atmosfera, como tudo no universo, segue as leis da Física. Muitas dessas equações descrevem a evolução das variáveis ao longo do tempo. Há equações por exemplo que descrevem a evolução da temperatura, da pressão, da velocidade do vento e de outras variáveis ou índices relacionados com as condições meteorológicas ao longo do tempo.

É um enorme desafio resolver essas equações. Em uma série de posts recentes onde conto a história da previsão numérica do tempo, falei das dificuldades em resolver essas equações pois elas são muito complicadas do ponto de vista matemático. O desenvolvimento e aperfeiçoamento dos computadores possibilitou que hoje pudéssemos resolver essas equações, usando a capacidade de processamento dos computadores para resolve-las.

Os computadores evoluíram muito em termos de capacidade de processamento, reduziram seu custo de aquisição e diminuíram seus tamanhos. O ENIAC tinha dimensões colossais e a capacidade de processamento de um celular simples dos dias de hoje é maior (falei disso aqui, citando inclusive um artigo que faz essa comparação).

Isso possibilitou que pudéssemos resolver essas equações com bastante sucesso e rapidez e dessa maneira podemos ter as respostas dos modelos meteorológicos em tempo hábil para que as decisões sejam tomadas.

Porém, para que a previsão do tempo seja feita com sucesso, é necessário termos boas condições iniciais. As condições iniciais são os dados observados que serão inseridos no supercomputador para que as equações tenham um “ponto de partida” para serem resolvidas.

Esses dados observados são informações de satélites meteorológicos, de radares, de estações meteorológicas de superfície, etc. São organizados no formato de um “campo inicial”, um mapa com as condições meteorológicas distribuídas em uma grade. Não é exagero afirmar que quanto mais estações meteorológicas de qualidade (com bom controle de qualidade e técnicos treinados), melhor a qualidade do campo inicial e consequentemente melhor a qualidade da resposta final, que é a previsão do tempo. Esse foi um dos temas que abordei quando escrevi esse texto para o UOL.

Claro que o computador não é uma “caixa mágica” que entrega toda a informação já na bandeja, pronta. O resultado das equações é um conjunto de números, que precisa interpretado e organizado em mapas, textos e ícones. A informação precisa ficar adequada para atingir um maior número de pessoas.  Em outras palavras, os dados precisam ser interpretados e organizados por meteorologistas, para que as pessoas tenham uma informação de qualidade.

Acredito que essa introdução sobre os procedimentos envolvidos no processo de previsão do tempo é muito importante, uma vez que entendendo como funciona, as pessoas vão poder valorizar essa área do conhecimento e os profissionais especializados nela. Além disso, compreendendo o processo e suas limitações fica mais fácil aprender a consultar a previsão do tempo de maneira mais eficiente.

Como entender aquele ícone do Sol com as nuvenzinhas e as informações adjacentes?

Acho que deixei claro no começo do texto, mas esse post é voltado para quem consulta a previsão do tempo para atividades cotidianas ou simples. Se você quer uma consultoria especializada para sua empresa ou sua fazenda, aí é o caso de contratar uma consultoria. Esse é um texto bem didático, com o objetivo de compartilhar conhecimento com a população.

Portanto não esperem e nem cobrem nada específico aqui, como consulta de mapas ou dicas para uma cidade específica do Brasil ou de outro país lusófono. Para isso, procure outras fontes de informação e empresas especializadas. Os meteorologistas criam produtos de acordo com as necessidades de cada empresa.

Vamos então falar do tal ícone bonitinho:

Primeira coisa que a gente precisa falar sobre a imagem acima é que ela foi obtida no site do CPTEC-INPE, na área que permite a busca de sua cidade e dessa maneira você pode acompanhar a previsão do tempo para um local específico. São informações pontuais sobre as variações de temperatura, nebulosidade, umidade relativa e precipitação.

Eu digo aqui que são informações pontuais porque elas não vão me contar o quadro sinótico, ou seja, o que está acontecendo em uma escala maior. Quando falo do quadro sinótico, eu me refiro a ocorrência de frentes frias, zonas de convergência, ciclones, etc. Essa busca por cidade vai me contar a evolução das condições meteorológicas em um único ponto. No exemplo da imagem, eu me refiro a São Paulo-SP, mas poderia ser qualquer cidade.

Convenhamos que no dia a dia, para uma pessoa que consulta a previsão do tempo para saber se vai chover no fim de semana em sua cidade de interesse, essa previsão do tempo pontual é a que mais ajuda. E a qualidade atual dos modelos meteorológicos permite uma boa previsão por localidade.

Eu posso até escrever um post futuramente falando um pouco mais sobre sinótica, mas por enquanto os mais ávidos por meteorologia sinótica vão ter que se contentar com esse post,que não é o mais completo do mundo, mas o pessoal elogia bastante.

Pois então, vamos falar do ícone e das informações ao redor. Veja, aqui usei a previsão do CPTEC-INPE como exemplo, mas a maioria das empresas e institutos que fazem previsão do tempo utilizam um sistema de ícones muito parecidos.

O ícone normalmente conta com a presença do disco solar e de nuvens. E claro, esse ícone vai nos dizer a quantidade de nuvens presente naquele dia e também vai dizer se essas nuvens significam chuva. A quantidade de nuvens ao longo do dia varia, porém no ícone normalmente aparece a condição média ou mais importante daquele dia. Observe que na previsão para o dia 30/10 e para o dia 31/10 aparecem nuvens com chuva. Isso indica que será um dia nublado, com chuva e o pequeno texto que acompanha cada um dos dias dá mais informações. Esse texto pode, por exemplo, indicar a possibilidade de ocorrência de chuva forte ou trovoada.

Eu trabalhei por um curto período com previsão do tempo e eu escrevia textos que eram direcionados para alguns jornais. Éramos sempre instruídos a escrever textos curtos e com a informação bem clara, sempre dando maior destaque para o mais importante, que no caso da meteorologia sempre significa informar se vai ou não chover naquele dia. As pessoas em geral não ficam muito tempo lendo e querem a informação rapidamente (eu sinceramente não sei porque escrevo textos tão longos, mas eu tenho meus leitores).

Como eu mencionei anteriormente, a previsão do tempo tem suas limitações. E se os resultados do modelo indicassem uma probabilidade de chuva relativamente grande (digamos, superior a 60%), a gente colocava no resumo da cidade que iria chover. Olha, eu acho que é melhor sair com o guarda-chuva de casa e não chover do que ser pego desprevenido. E essa informação sobre a chuva é colocada tanto no pequeno texto que acompanha o resumo, quanto no índice que marca a probabilidade de chuva em %.

Observem outra informação importante: na previsão do dia 31/10 do nosso exemplo, temos indicado a temperatura máxima e a temperatura mínima. Essa é a faixa na qual a temperatura variará ao longo do dia. A previsão indica uma mínima de 18°C e uma máxima de 23°C. A temperatura mínima costuma ocorrer no final da madrugada/início da manhã. A temperatura máxima costuma ocorrer entre as 14h e 16h.

Sempre conto uma pequena anedota sobre essa variação de temperatura. Eu dava aulas em um curso técnico, quando um dos alunos disse, em tom jocoso, que era muito fácil fazer a previsão do tempo: bastava “chutar” (ele usou essa palavra: o coração de uma professora é quebrado várias vezes por dia) um valor alto e um baixo de temperatura, porque assim era fácil acertar a temperatura. O que esse aluno não se deu conta é que a temperatura não se mantém constante ao longo do dia. A diferença entre temperatura máxima e temperatura mínima é chamada de amplitude térmica.

E a amplitude térmica nos ajuda a tomar algumas decisões. Por exemplo, veja na previsão do dia 31/10. Observe que a previsão para a temperatura máxima é de 23°C e para a temperatura mínima é de 18°C. Ou seja, a amplitude térmica é de apenas 5°C. E isso nos conta algo muito importante: dias com baixa amplitude térmica, são dias nublados. São aqueles dias em que muito provavelmente o Sol vai ficar a maior parte do tempo “escondido” sob um manto de nuvens, normalmente St/Sc (Stratus e/ou Stratocumulus). E dias com baixa amplitude térmica (principalmente se a mínima e a máxima forem inferiores a 25ºC aproximadamente) são dias em que algumas pessoas podem sentir um pouco de frio, embora a temperatura não esteja exatamente baixa naquele momento. A sensação térmica varia entre diferentes pessoas, então algumas pessoas podem sentir um certo desconforto de frio em dias nublados em com temperaturas inferiores a uns 25°C.

A radiação solar aquece a superfície da Terra. Se uma camada espessa de nuvens baixas estiver presente, uma menor quantidade de raios solares vai chegar até a superfície. Como a superfície absorve radiação solar e depois aquece a atmosfera, consequentemente a atmosfera ficará menos aquecida. Por outro lado, essa pequena quantidade de raios solares que atingiu a superfície vai conseguir aquecer ao menos um pouco a atmosfera e esse calor será perdido para o espaço em menor quantidade, uma vez que as nuvens também atuam como uma espécie de “cobertor”. O resultado é uma amplitude térmica mais baixa do que em um dia sem nuvens.

Sendo assim, se ao observarmos a previsão do tempo para um determinado dia identificarmos uma grande amplitude térmica, temos então um indício de que será um dia com pouca ou nenhuma nebulosidade. Dias assim aqui em São Paulo são comuns em agosto, por exemplo. Eles começam com uma manhã relativamente fria, com uma mínima que pode estar por volta dos 10°C, e no meio da tarde, a máxima pode chegar perto dos 30°C. São aqueles dias em que a gente sai para trabalhar ou para ir para a escola com um casaco pesado e o tira por volta do meio dia (ou sai com várias camadas de roupa e vai removendo ao longo do dia, como uma cebola).

Na previsão do CPTEC aparece também o horário do nascer e do pôr do Sol. São informações astronômicas obtidas através de cálculos precisos, pois a humanidade já sabe há tempos a respeito dos movimentos da Terra em torno de si mesma e em torno do Sol. Computadores resolvem esses cálculos com muita precisão para as diferentes localidades do planeta, uma vez que essa informação varia com a época do ano, com a latitude e varia também com a longitude (com os diferentes fusos horários). O Observatório Nacional, por exemplo, faz esses cálculos dos horários de nascer e pôr do Sol.

Por fim, outra informação presente e de extrema importância é o Índice Ulta-Violeta (IUV). Ele indica o fator de risco de exposição ao índice UV, que tem a ver com a prevenção do câncer de pele, prevenção da catarata e prevenção do envelhecimento precoce. O IUV varia ao longo do dia em uma mesma localidade, dependendo do horário. A previsão sempre indica o valor máximo daquele dia. Eu falei sobre IUV nesse post, que recomendo que todos leiam para se conscientizar a respeito da exposição inadequada ao Sol.

O IUV varia com a localidade, com a época do ano, com o horário do dia e com a nebulosidade. Consulte esse post para saber mais. Recomendo também o Programa Sol Amigo, que tem como objetivo conscientizar para a fotoproteção. Se você é educador, recomendo muito o Programa Sol Amigo porque eles contam com ótimo material didático e posteres a respeito do tema. O material é elaborado por médicos, educadores e físicos.

Consulte a previsão do tempo com frequência!

Outra coisa que devemos sempre ter em mente é que não adianta consultar a previsão do tempo apenas na segunda-feira para saber o que vai acontecer no fim de semana. O ideal é que a consulta seja feita diariamente, pois a previsão pode mudar.

Como mencionei anteriormente no texto, a previsão do tempo é um procedimento realizado ao menos uma vez por dia. O campo inicial (condições iniciais, dados observados) modifica-se, já que a cada momento temos novas informações sobre a atmosfera. Quanto mais próximo da data de interesse, melhor (mais acurada) a previsão. Sendo assim, se você está pensando em marcar um passeio ao ar livre em um sábado, a previsão da quinta-feira será melhor que a previsão da segunda-feira.

Por essa razão, consulte a previsão diariamente como parte dos preparativos para o seu evento.

Sites para consultar a previsão do tempo

Aqui eu me refiro a consulta por cidades, a consulta pontual da qual falei ao longo do texto e que na minha opinião, já é uma boa auxiliar para a programação de atividade simples, cotidianas (tipo de sapato que vai usar, carregar ou não uma blusa/guarda-chuva, churrascos, passeios, pequenas viagens, etc).

Eu normalmente utilizo o site do CPTEC-INPE, porém há outras duas empresas privadas que recomendo. Eles não estão me pagando nada (porém bem que podiam pagar, não é mesmo?), porém eu indico o trabalho:

Vocês vão ver que as previsões são aproximadamente as mesmas, já que os modelos meteorológicos e as condições iniciais são basicamente as mesmas. O que vai mudar é a interpretação dos meteorologistas. Alguns meteorologistas são mais cautelosos e marcam que vai chover ao menor indício nos resultados do modelo. Meteorologistas mais experientes vão olhar várias variáveis e indicadores, vão analisar cartas sinóticas e a experiência deles vai acabar sendo determinante para uma melhor previsão. Como mencionei nesse post, a experiência do meteorologista conta muito na qualidade da previsão do tempo.

Observe que os sites que mencionei são para o público brasileiro. Eu não sei dizer quais sites com informações sobre a previsão do tempo são consultados por moradores de outros países. Do ponto de vista internacional, posso recomendar:

No entanto, é sempre melhor consultar os serviços meteorológicos nacionais ou serviços de empresas que atuam no país de interesse. Meteorologistas locais normalmente tem uma melhor visão e uma maior experiência sobre as condições meteorológicas do local onde atuam.