O que sigfinica a expressão ‘céu de brigadeiro’?



Hoje vamos falar de uma expressão muito comum, usada nos meios de comunicação e em conversas informais. O tal céu de brigadeiro.

Céu de brigadeiro.
Cortesia de Shutterstock

Quando o céu está sem nuvens, diz-se que temos um céu de brigadeiro. É aquele céu bem típico de mês de agosto aqui em São Paulo, quando não temos nenhuma nuvem no céu. Sabe aqueles dias paulistanos em que o dia começa frio e esquenta bastante no meio da tarde? Dias com céu de brigadeiro são dias em que a amplitude térmica costuma ser alta.

Se bem que em São Paulo esses mesmos dias de céu muito limpo ficam com uma camada de poluição bem desagradável, que é facilmente observável no horizonte a partir de um ponto mais alto da cidade. Esses helicópteros de redes de TV sempre mencionam essa camada, que inclusive atrapalha a visibilidade dos pilotos também. Então em São Paulo-SP raramente temos exatamente um céu de brigadeiro.

Camada de poluição observada na Estação Meteorológica do IAG-USP em 08/05/2014.
Cortesia de EM-IAG-USP

No Brasil, brigadeiro é a patente máxima da Aeronáutica (seria o equivalente à patente de general no Exército e Almirante na Marinha, pelo o que pesquisei). A tradição é de que em razão de sua importância, esse oficial só faz voos quando o céu apresenta condições favoráveis (céu totalmente limpo). Ou seja, essa expressão é típica do português do Brasil.

Quando há nuvens no céu, temos muitas correntes ascendentes e turbulência. Situações assim podem prejudicar o voo, tornando-o inclusive perigoso. Bom, mas para mais detalhes sobre meteorologia aeronáutica é sempre bom consultar o Vinícius.

Muitas vezes a expressão também é utilizada para dizer que está ‘tudo limpo’ ou que a  situação está favorável para uma determinada atividade. Outro dia li uma reportagem cujo título era “Céu de brigadeiro para investidores”. Ou seja, a notícia dizia que a situação econômica estava favorável para a realização de certos investimentos.

Tem um post no blog Monolito Nimbus com um vídeo de um vôo usando um Cessna 172 em um dia com céu de brigadeiro. Gostei do vídeo porque é um exemplo dessa expressão e no post em questão, há uma entrevista com um piloto que teve uma trajetória incomum: ele cursava Física na USP e depois decidiu estudar para ser piloto.

Links