Como melhorar a escrita?



Cortesia de Pixabay

É claro que eu não sou nenhuma Eliane Brum ou Joan Didion, que são duas escritoras contemporâneas que admiro muito. Além disso, elas são muito renomadas e já ganharam vários prêmios. Ou seja, o trabalho é altamente reconhecido. Outras maravilhosas que eu poderia citar são Octavia Butler e J. K. Rowling e é evidente que eu não tenho nem 1g do talento de nenhuma dessas maravilhosas mulheres citadas. Em um nível mais local, preciso citar também Fabiana Bertotti e Sybylla, gosto muito do jeito que elas escrevem. Enfim, sempre tivemos autoras maravilhosas que escrevem super bem, porém felizmente hoje elas tem muito mais espaço! Nós estamos conquistando nosso espaço, um pedacinho por dia e isso é tão lindo que eu me emociono em quanto escrevo.

Percebo que minha escrita aqui no blog melhorou muito nos últimos tempos. Fazendo aquela linda análise autocrítica que eu acredito que todos nós devemos fazer sobre nossas atividades, percebo que as coisas estão fluindo melhor por aqui. Claro que eu não fui abduzida por alienígenas adoradores de C.S. Lewis que fizeram algum procedimento a fim de melhorar essa habilidade. Na verdade, eu acho que eu estou ficando cada vez mais engajada com o blog. E provavelmente esse é o principal motivo por atestar a melhoria da minha escrita.

Sim gente, super piegas falar isso, mas: quando a gente faz algo com amor, o empenho vem naturalmente. O amor faz você querer fazer o melhor possível. Faz até você ultrapassar barreiras e superar limitações. Você vai querer fazer aquilo mais e mais vezes e a prática leva a uma melhoria na habilidade.

Basta pensarmos como um atleta, por exemplo, que precisa treinar muito para melhorar e quem sabe ultrapassar um recorde. Portanto, se você gosta de escrever, escreva. Escreva muito, muito mesmo. Não tenha vergonha de publicar seus escritos em um blog, por exemplo. Escreva em um caderno, se você for da moda antiga ou não querer divulgar o que escreve (por questões de privacidade, por exemplo). Não importa como: escreva!  Se você gosta de poesia, procure organizar um sarau ou participe de um. Aqui em São Paulo, o pessoal da Cooperifa organiza saraus (eu já fui em dois deles e gostei bastante). Se você gosta de escrever ficção científica, recomendo a Revista Trasgo (eles recebem o material de quem tem vontade de publicar por lá). Enfim, procure um canal para publicar seus escritos e não tenha vergonha se te criticarem. Nesse post, eu falo um pouco sobre como lido com críticas e acredito que pode ajudar. Eu não me importo mais se a crítica é mal educada ou ofensiva e tem o único intuito de machucar. Se a crítica é boa, eu analiso e tento usá-la para o meu bem, de modo que ela possa me servir como uma dica importante para melhorar. Quando a crítica é boa a gente percebe, a pessoa articula bem a crítica e não te ofende.

Ler bastante ajuda muito também a melhorar a sua escrita. Leia livros e textos opinativos bem escritos. Procure material dentro do seu rol de interesses, porém aventure-se também saindo de sua zona de conforto. Nos últimos anos li gêneros que eu não me imaginava lendo anos antes (como o tal chick lit, por exemplo). Li textos também de pessoas com pontos de vista diferentes dos meus e isso enriqueceu bastante minha escrita e minha vida de um modo geral, porque aprendi a coexistir com pessoas que tem opiniões diferentes das minhas. Vejam, aqui estou falando de opiniões diferentes normais, não das de gente que quer o mal dos outros (racistas, nazistas, fascistas, etc, pois quero mandar esses idiotas para o núcleo do Sol).

Outra coisa, percebi que eu não sou obrigada a ter opinião sobre tudo e eu percebi que isso é sinônimo de liberdade. Eu prefiro não tratar de certos assuntos os quais não considero que tenho conhecimento para tal. E há certos assuntos nem quero ter conhecimento a respeito, pois não me interessam. A internet nos deu tantas possibilidades que muitos de nós se sentem afogados por tanta informação. E há quem acredite que precise dar uma opinião sobre tudo e não precisa não!

Eu gosto de dar minhas opiniões e escrever a respeito sobre temas relacionados com Meteorologia e outras áreas do conhecimento relacionadas, gosto de falar sobre divulgação científica e é claro que eu tenho outros interesses e falo deles por aqui também. Quando percebi que eu deveria falar apenas sobre o que gosto e sobre o que entendo melhor, pois dessa maneira eu contribuiria melhor com a blogosfera, eu me senti melhor. Pois mesmo dentro da Meteorologia, não é toda subárea que me interessa ou que tenho conhecimento suficiente para tratar.

Enfim, foram algumas coisinhas que ao meu ver me fizeram melhorar a escrita. Claro que eu tenho muita estrada pela frente, mas eu acho que ao menos eu aprendi a caminhar por essa estrada. Acredito inclusive que eu deveria ter começado a escrever com mais empenho e vontade muito antes, porém durante a faculdade eu quase não tinha tempo e eu tinha um pouco de vergonha também. Quando algum amigo próximo ou familiar dizia que tinha lido meus textos, eu ficava um pouco tímida e hoje em dia eu fico muito feliz quando alguém com quem convivo vem contar que leu alguma coisa que escrevi. Poxa, dá muita alegria mesmo!

Outra coisa, sempre leia o que você escreveu. Antes eu era mais relapsa e eu percebo que deixei muitos erros passarem. Erros de concordância ou de ortografia, por exemplo. Além disso, quando a gente relê um texto nosso, a gente acaba notando que pode reescrever algumas frases, de modo a deixá-las mais fluidas ou com uma melhor compreensão. Se você está escrevendo com raiva ou triste, termine o texto mas não o publique. Releia quando a raiva passar. Às vezes a gente se compromete e cria problemas enormes para nossas vidas, simplesmente porque age impulsivamente diante de uma situação de raiva. Pare, pense, respire e releia quando estiver se sentindo.

Se você gosta de escrever, não desista. Faça disso um bom hobby, uma oportunidade de desabafar ou compartilhar conhecimentos e ensinamentos. Guie-se somente por boas críticas. E aqui não falo de elogios somente, falo de críticas bem fundamentadas e educadas, pois nem todo elogio é bem fundamentado. Pratique bastante e leia bastante para ter repertório e vocabulário. Faça cursos livres, veja entrevistas de escritores que você admira, procure se informar sobre os processos criativos e crie o seu próprio. O Brasil precisa de escritores e de leitores.