Aqui vocês não vão ouvir falar de política!



Cortesia de Pixabay

Se você não gosta de política (como é meu caso) já deve estar se irritando com as redes sociais. As discussões sobre política invadiram também blogs, podcasts, canais do Youtube, etc. Alguns produtores de conteúdo já tinham o hábito de produzir conteúdo sobre o assunto, hábito esse que vai ficar bem intenso em 2018. Entretanto, estou percebendo que até mesmo produtores de conteúdo que nunca trabalharam com esse tema antes estão falando do assunto, devido ao fato de estarmos em um ano eleitoral.

Eu tenho comentado desde o ano passado com alguns amigos e familiares que 2018 vai ser feio. Você vai ficar sabendo de brigas entre amigos e entre familiares. Política é um assunto pesado e cansativo, ainda mais em um país como o nosso, onde a desonestidade e a corrupção estão presentes diariamente. Ser político, infelizmente, virou sinônimo de ser corrupto e isso não é de hoje, lembro de piadas relacionando os dois fatos desde a década de 1980!

Eu sei que tem toda a discussão de que tudo é um ato político. O fato de estarmos discutindo qualquer tema relacionado à vida na cidade, por exemplo, é falar de política de certa maneira. E eu também sei que uma discussão histórica sobre política pode ser bastante enriquecedora.

Em outras palavras, eu até gostaria de saber das discussões sobre política se a maioria das discussões do Brasil não fossem extremamente polarizadas. Para ser justa, não é só no Brasil: vejo essa polarização nos EUA também, por exemplo.

Há o que eu considero como polarização “burra”, que é o caso  daquelas pessoas que idolatram determinados indivíduos ou partidos. E também há a polarização “oculta”, onde a princípio o indivíduo apresenta um verniz de imparcialidade, porém na primeira possibilidade está defendendo este ou aquele sujeito ou este ou aquele partido.

Discussões polarizadas são chatas. Nem os apreciadores de futebol aguentam esse fanatismo e muitos dos apreciadores desse esporte até evitam discutir o assunto com pessoas “clubistas“. Discussões polarizadas se assemelham com aquele seu amigo religioso que quer discutir religião com você porém apresenta uma visão extremamente tendenciosa, sem fazer uma análise comparativa entre as religiões. Discussões polarizadas são aquelas testemunhas de Jeová que batem na porta da sua casa no domingo de manhã.

Não dá para aprender nada com essa polarização de ideias, fica parecendo aquele episódio do Pernalonga em que ficam discutindo se é temporada de caça aos patos ou aos coelhos. As pessoas se agarram ao seu ponto de vista de maneira fanática e as discussões acabam em baixaria, com ofensas e muita gente que para de se falar. Amizades são desfeitas. Você consegue pensar na gravidade disso? Amigos antigos e familiares são quem te socorre em momentos de dificuldade. Eu realmente tenho mais o que fazer, não vou parar de falar com meu tio (exemplo) porque ele votou no candidato A ou B. Ele exerceu seu direito como cidadão, mostrou sua opinião.  Ele teve motivos para votar no candidato. O que me importa é meu tio gostar de mim, ser uma pessoa íntegra e bondosa e se age de maneira honesta em seu cotidiano.

Sem contar a desinformação científica em meio a essas discussões sobre política. Como Meteorologista, sou obrigada a ler por parte de alguns sujeitos mais inclinados para a direita que aquecimento global é coisa de esquerdista. Recentemente, a bola da vez foram os agrotóxicos. Uma pessoa mais “da esquerda” falou mal dos agrotóxicos, defendeu cultivos orgânicos e etc, enquanto uma pessoa mais “da direita” deu a entender que os agrotóxicos não fazem mal nenhum. O que mais assusta é que nenhuma dessas pessoas envolvidas nessa discussão é especializada nesse tema ou sequer fizeram boas pesquisas a respeito. Em um vídeo recente,o Pirula discutiu esse tema com bastante equilíbrio, levando em consideração pesquisas científicas. Essa falta de critério ao analisar questões científicas é provavelmente uma das coisas que mais me fazem ter ranço de política.

Eu também detesto os “jogos pelo poder” que tem imediata relação com política. Acho tudo muito sujo e nojento, eles não fazem nada pela população. O povo precisa brigar, discutir, mandar e-mail e perturbar parlamentar para conseguir alguma coisa. Uma vez uma linha de ônibus parou de circular no bairro em que eu morava e eu mandei e-mail para vários vereadores para que a linha voltasse. Se eu tivesse dinheiro e influência, conseguiria até aeroporto em minhas terras. Pensar nessas coisas me faz muito mal e é muito desgastante.

E há também o fato de que o brasileiro médio não é exatamente culto. Faltam bases, as pessoas se impressionam e se guiam por qualquer um que fala um pouco mais alto. São muito influenciadas pela televisão e por discursos mais popularescos. Eu estou cansada de tudo isso, quando vejo algumas discussões sobre política vejo toda essa falta de educação básica e eu fico cansada. Sinto um enorme desânimo, porque tudo é sempre igual.

Então eu parei de me importar com essas discussões. Eu faço a minha ‘política’ do dia a dia, pensando no melhor para a minha cidade e defendendo minhas causas, procurando ser a cada dia uma pessoa melhor e buscando honestidade. Vocês já perceberam aqui no blog que defendo que todos nós sempre estudemos e busquemos ser a melhor versão de nós mesmos. Eu procuro ajudar e encorajar estudantes, além de ajudar professores a preparar suas aulas quando estas estão relacionadas com alguma coisa sobre Meteorologia. Também gosto de dividir com vocês um pouco de meu dia a dia, falando de hobbies, passeios e outros temas de meu interesse. Em suma, eu estou em paz, pois sei que faço a minha parte como cidadã dentro do que sou e do que posso no momento.

Aqui vocês não vão ouvir falar de política! Vou continuar falando sobre meu lifestyle, sobre curiosidades, sobre Meteorologia, sobre maternidade, etc. Vocês sabem, os temas que sempre aparecem por aqui!

Não vou chatear ninguém com política, aqui vai ser uma boia de salvação. Se o assunto também te irrita, dê um tempo nas redes sociais ao longo do ano de 2018. Eu estou usando o Facebook apenas para compartilhar os links do meu blog, responder mensagens e ver as os conteúdos em que me marcam. Tenho tentado fazer algo semelhante no Twitter. Eu já vi política até no Instagram! Eu desinstalei os aplicativos do Twitter, do Facebook e do Instagram de meu celular. Eu tenho usado o PC para trabalhar, claro, e para produzir conteúdo para o blog. Quando estou no Youtube, procuro ver vídeos de assuntos que me interessam e evito qualquer outro tipo de vídeo. Talvez eu esteja sendo radical, mas eu não quero me chatear. Também não quero que “meu dedo coce” e eu acabe participando dessas discussões, só para me chatear e até correndo o risco de falar sobre assuntos que não domino. Se isso é o mesmo que se alienar, eu realmente não acho que alienação seja algo necessariamente ruim.