Dúvida do leitor: Para ser Meteorologista eu devo cursar uma especialização?



Uma foto bonita com nuvens sempre ilustra muito bem nossos posts.
Cortesia de Pixabay

Queridos leitores, hoje vou responder duas dúvidas no mesmo post. Isso que é eficiência😆!

Na verdade são duas dúvidas muito semelhantes. Bom, vocês vão me entender assim que eu publicar as perguntas.

A primeira mensagem é da leitora Vanessa:

Olá Samantha, eu atualmente estou cursando gestão ambiental e quero muito trabalhar na área da meteorologia também, qual faculdade preciso fazer para me especializar nesta área?

E a segunda mensagem é da leitora Paula:

Olá Sam boa noite, gostaria de saber se eu fazendo a graduação em geografia (licenciatura ou bacharelado) ao término do curso eu poderia fazer uma especialização em meteorologia?…isso seria possível? vc pode me dá uma orientação se isso for possível? obrigada 🙂

Em primeiro lugar, obrigada pelas mensagens pois elas possibilitam que mais uma vez eu discuta o assunto carreira em Meteorologia aqui no blog. Se você é leitor assíduo do blog, já deve ter observado que esse assunto é praticamente semanal por aqui. Ocorre que recebo muitas perguntas sobre o assunto e o que eu mais quero é esclarecer todo mundo que me pergunta!

É preciso ficar claro que não existe especialização em meteorologia! No passado existiu especialização em Meteorologia na UFRJ, conforme deixa a entender parte do texto da lei n°6.835, de 14 de outubro 1980, que dispõe sobre o exercício da profissão de Meteorologista:

c) aos possuidores de diploma de Bacharel em Física, modalidade Meteorologia, concedido pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal do Rio de Janeiro e devidamente registrado no órgão próprio do Ministério da Educação e Cultura;

Essa especialização em Meteorologia era uma escolha que o aluno do Bacharelado em Física podia fazer ao longo do curso, há muitos anos atrás, na UFRJ. Porém hoje em dia existe o curso de Bacharelado em Meteorologia na UFRJ (assim como em mais outras 12 universidades brasileiras) e não existe mais essa especialização.

Cortesia de Canva

Se você cursa Geografia ou Gestão Ambiental por exemplo (como são os casos das minhas leitoras), você terá algumas opções (eu consegui pensar em 3 opções) e eu vou dissecá-las nos tópicos a seguir:

Conclua o curso que está fazendo e depois curse Bacharelado em Meteorologia:

Concluir o curso que está fazendo e depois fazer o Bacharelado em Meteorologia. E não se engane, possivelmente vocês duas (que são da Geografia e da Gestão Ambiental) eliminarão poucas matérias (ou nenhuma) em sua segunda graduação.  O curso de Bacharelado em Meteorologia é um curso de exatas, com base forte de Física e Matemática. Discutimos a questão da grade curricular nesse post. Entretanto, se um Bacharel em Física decidisse cursar Bacharelado em Meteorologia como segunda graduação, certamente ele eliminaria uns 40% das matérias do curso!

Abandone o curso e preste vestibular/ENEM para o Bacharelado em Meteorologia:

Abandonar o curso que está fazendo para cursar o Bacharelado em Meteorologia. Eu pessoalmente não recomendaria isso logo de cara! É uma decisão muito complicada de se fazer. Acho que ter duas graduações é melhor, você terá mais chances no mercado de trabalho. Por isso persista e tenha paciência!

Concluir o curso que está fazendo e fazer pós-graduação na área de Meteorologia:

Quase todas as universidades que oferecem o Bacharelado em Meteorologia também oferecem cursos de mestrado e doutorado na área (pós-graduação stricto sensu). Além das Universidades, o INPE também oferece cursos de mestrado e doutorado na área. Em todos os casos, há entrevistas, análises de currículo, provas, etc. Ou seja, é um processo seletivo.

Ainda não vi curso de pós-graduação em Meteorologia lato sensu (especialização), e se alguém tiver conhecimento disso me informe nos comentários.

Porém essa opção de fazer pós-graduação (e aqui vou falar da stricto sensu) tem alguns pontos que devem ser levados em consideração. O principal deles é que um pós-graduado em Meteorologia que não é bacharel em Meteorologia não pode exercer a profissão de Meteorologista. Ficou confuso? Eu vou explicar com outras palavras. Só pode atuar como Meteorologista profissionalmente aqueles que cursarem o Bacharelado em Meteorologia. Sim, nossa profissão é regulamentada pelo CREA conforme deixa claro o texto da lei n°6.835, de 14 de outubro 1980.

Como analogia, pense em um Engenheiro Civil que estudou na Poli-USP. Ele fez o Bacharelado em Engenharia nessa instituição e pode atuar como Engenheiro Civil profissionalmente em qualquer empresa que realize operações no Brasil. Ele vai ter que se inscrever no sistema CONFEA-CREA, que é o mesmo sistema que regulamenta a profissão de Meteorologista.

Agora vamos pensar em um Bacharel em Física que faz mestrado na Poli-USP. E é comum termos Físicos e Matemáticos que trabalham com pesquisa na área de Engenharia. Esse Bacharel em Física terá um título de mestre concedido por uma Escola de Engenharia, porém ele não pode atuar profissionalmente como Engenheiro!

Engenharia, Arquitetura, Medicina, Odontologia, Meteorologia, Geologia, Educação Física, etc. Esses são apenas alguns exemplos de profissões em que apenas quem cursou bacharelado nessas áreas poderá atuar profissionalmente. Entretanto, pessoas capacitadas que cursaram Mestrado e Doutorado nessas áreas podem atuar na pesquisa acadêmica!

Sendo assim, Paula e Vanessa, se vocês quiserem atuar como pesquisadoras acadêmicas na área de Meteorologia, vocês podem concluir os cursos que vocês estão cursando no momento e depois fazerem Mestrado e Doutorado na área de Meteorologia. Vocês vão poder atuar na área acadêmica, mas não poderão atuar na área profissional (fazendo previsão do tempo, elaborando relatórios e boletins profissionais, etc).

Concluindo: não é possível ser Meteorologista sem cursar o Bacharelado em Meteorologia!

Para tirar todas as dúvidas de vocês, eu sugiro que vocês leiam todos os textos que coloquei como link ao longo desse post. E se alguém tiver mais dúvidas ou algo para acrescentar, fiquem a vontade para fazer isso na caixa de comentários.