Dúvida do leitor: raios em árvores e postes



Cortesia de Pixabay

O Ralph, um leitor fiel e muito querido aqui do blog, deixou uma pergunta bastante interessante sobre raios:

Olha eu sou alguém EXTREMAMENTE andarilho pela cidade e muito frequentemente eu caminho no meio da tempestade. Eu sei que a recomendação é não ficar debaixo de árvores mas o que eu não entendo é o porque árvores são mais perigosos que postes já que estes são mais altos e tanto o poste quanto a árvore não são metálicos (concreto vs orgânico). Abraços.

Eu vou aproveitar essa pergunta para falar sobre dicas de segurança durante tempestade. Sendo assim, preparem-se para o texto enorme, Ralph e demais leitores interessados no assunto.

É muito comum ver pessoas se abrigando sob as copas das árvores durante a chuva. Talvez não durante uma tempestade um chuva mais forte, mas durante um chuvisco, as folhas e os galhos das árvores conseguem segurar um pouco da chuva. Claro que vai depender do porte da árvore e do tamanho de sua copa, mas se ela for suficientemente frondosa, é possível “se abrigar” um pouco ali debaixo. É importante notar que chuviscos (ou chuvas estratiformes) não costumam vir acompanhados de vento forte e descargas elétricas.

Já durante tempestades, as árvores não são um bom abrigo. Primeiro porque a chuva é muito forte e a estrutura da árvore não vai dar conta de segurar toda a água. Além disso, temos os ventos intensos (que podem derrubar um galho e causar um grave ferimento em quem estiver debaixo) e temos também as descargas elétricas.

De acordo com o ELAT-INPE, uma árvore atingida por um raio poderá ou não sobreviver, dependendo de suas características. A árvores são constantemente atingidas por raios porque elas são altas e as nuvens eletricamente carregadas procuram o caminho mais curto para descarregarem seu excesso de cargas elétricas em direção à superfície da Terra. O caminho mais curto, para o caso da eletricidade, trata-se do caminho mais condutivo. E se esse caminho condutivo for alto, melhor ainda: estão mais próximos da nuvem.

Ainda de acordo com o ELAT-INPE,  a seiva presente no interior do tronco das árvores é melhor condutor do que o ar. Isso certamente ajuda na propagação da descarga elétrica. Ou seja: sua altura somada a essa característica condutiva da seiva fazem com que em geral as árvores tenham grande probabilidade de serem atingidas por raios.

Quando uma descarga atinge uma árvore, três coisas podem ocorrer: ela permanece intacta, pode ter a casca do tronco parcialmente removida ou pode ser totalmente destruída.  Se a casca da árvore está bastante molhada, a descarga pode ficar restrita a parte externa da casca e não ocorrem grandes danos. Se a descarga penetra, ela aquece instantaneamente a seiva, que evapora, causando uma explosão que remove a casca da árvore. Se a umidade da árvore está armazenada mais no interior do tronco, o efeito da descarga sobre a árvore costuma causar sua destruição. {x}

Agora vamos falar dos postes. Em geral eles são feitos de concreto, embora possam ser feitos de madeira em algumas regiões do Brasil. No entanto eles não são inteiramente feitos de concreto: eles possuem uma estrutura de ferro em seu interior. Essa estrutura ajuda o poste a ficar mais estável, de modo bem análogo a quando construímos um muro e não desejamos que ele caia. Além disso, os postes (assim como os muros) possuem também uma estrutura abaixo do nível do solo, para garantir sua estabilidade na construção. Se alguém da área de edificações ler esse trecho e tiver algo para corrigir ou acrescentar, fique a vontade! Eu não tenho nenhuma familiaridade com os termos técnicos dessa área, mas eu acredito que a informação que dei sobre a estrutura dos postes é mais ou menos precisa [*].

 

Eu fui atrás de informações sobre raios atingindo postes. De fato, esse tipo de acidente acontece mesmo (veja aqui). Tanto que funcionários da manutenção elétrica externa não devem trabalhar durante tempestades. Na verdade, o pessoal da construção civil que atua em áreas externas também não deve trabalhar enquanto está ocorrendo uma tempestade, por razões óbvias de segurança. Se você fizer uma busca pela internet, vai ver que raios atingindo postes não é algo exatamente incomum. Esse vídeo aqui é bem impressionante, por exemplo.

Quando um raio atinge um poste, a descarga elétrica pode se espalhar também pelos fios de alta tensão. É por essa razão que há a recomendação de remover da tomada todos os eletrodomésticos, para evitar prejuízos. A descarga elétrica pode causar um pico de corrente elétrica, se espalhar por toda rede elétrica e danificar os aparelhos. Não utilize equipamentos elétricos ligados na tomada durante tempestades.

O sistema de distribuição de energia elétrica conta com equipamentos que atuam como pára-raios, para minimizar danos aos cabos, postes e outros equipamentos. No entanto, o sistema pode ter falhas.

Como a descarga elétrica pode ser espalhada pelos fios e transmitida para o solo pela estrutura de ferro do poste, é possível que uma pessoa que esteja próxima ao poste (no solo) não seja atingida. Porém temos algumas considerações muito importantes:

  • Algumas cidades possuem postes bem velhos, danificados. Uma descarga elétrica pode partir o poste já fragilizado, causando um grave acidente.
  • Às vezes temos a tendência a ficarmos encostados no poste. Se o concreto já não estiver muito bom,  a estrutura de ferro do poste pode estar aparente (veja nesse exemplo). Assim, uma pessoa encostada nesse poste danificado pode ser indiretamente atingida pela descarga elétrica. E o poste pode “explodir”, pois a temperatura do ferro vai subir enquanto este estiver conduzindo a eletricidade proveniente das nuvens. Esse aquecimento vai fazer o concreto expandir e rapidamente ele vai ser resfriado novamente pela ação da água da chuva e do vento. Essa rápida mudança de temperatura pode fazer com que o poste se parta.

Dessa maneira, se me perguntarem se um raio tem maior probabilidade de atingir uma árvore ou um poste, eu não vou saber responder. É uma questão cuja resposta envolve muitas variáveis, como intensidade da tempestade e local onde essa tempestade está ocorrendo. Na situação de uma tempestade que está ocorrendo próxima a uma estrada com árvores pequenas nas proximidades, as descargas elétricas poderão ter maior probabilidade de atingir eventuais postes nas proximidades dessa estrada, por exemplo.

Também é necessário considerar que em cidades muito densas demograficamente, como Rio de Janeiro, é comum que tenhamos prédios muito altos e assim os postes acabam não sendo os pontos mais altos da área. Os prédios possuem pára-raios e se este estiver bem instalado, devidamente verificado e dentro das normas, vai proteger os moradores do edifício e as pessoas que estão do lado de fora, porém próximas dele.

Concluindo a resposta:

Sendo assim, Ralph, concluo que as árvores são mais perigosas por que as pessoas naturalmente acabam querendo procurar abrigo debaixo delas e dessa maneira as chances de um acidente envolvendo raios ocorrer nessas circunstâncias é muito maior do que envolvendo postes, já que as pessoas não tem como se abrigarem encostadas em postes.

 🌳⚡🌳⚡🌳⚡🌳⚡🌳⚡🌳⚡🌳

Se você gosta de praticar atividades ao ar livre, deve ficar atento a informações de segurança. Ontem mesmo, uma partida de futebol foi interrompida devido uma tempestade. O perigo é real e a conscientização deve existir e ser colocada em prática.

Recentemente eu fiz uma viagem para o litoral e fiquei impressionada com a falta de responsabilidade das pessoas. Uma tempestade estava se formando e notei uma enorme movimentação, com pessoas guardando suas coisas e indo embora. No entanto, ainda tinha quem estivesse tranquilamente no mar, muitos inclusive bem distantes da faixa de areia. O salva-vidas apitava feito louco para que as pessoas saíssem da água e procurassem abrigo, mas eu tive a impressão que muitos nem se importavam com o aviso. Sempre tem aquela sensação de “não vai acontecer comigo”, infelizmente. Quem me acompanhar no Instagram pelo stories deve ter me ouvido falar sobre esse caso.

Já faz alguns anos que o governo do Estado de São Paulo tem feito algumas campanhas para conscientizar a população. Nesse link, são apresentadas algumas informações de segurança e as repito aqui para meus leitores aprenderem:

– Evite lugares abertos, como estacionamentos, praias e campos de futebol;

– Abrigue-se em casa, edifício ou em instalação subterrânea como metrô;

– Não permaneça em rio, mar, lago ou piscina;

– Se estiver no carro, mantenha os vidros fechados, sem contato com as partes metálicas do veículo;

– Caso não encontre um abrigo por perto, fique agachado com os pés juntos, curvado para frente, colocando as mãos nos joelhos e a cabeça entre eles até a tempestade passar;

– Mantenha distância de objetos altos e isolados, como árvores, postes, quiosques, caixas d’água, bem como de objetos metálicos grandes e expostos, como tratores, escadas e cercas de arame;

– Evite soltar pipas, carregar objetos, como canos e varas de pesca e andar de bicicleta, motocicleta ou a cavalo;

– Mantenha distância de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras e fogões;

– Evite o uso de telefone, a menos que seja sem fio ou celular;

– Fique afastado de janelas, tomadas, torneiras e canos elétricos;

– Evite tomar banho durante a tempestade.

Ano passado eu também escrevi um texto bem completo sobre o assunto e vale a pena ler. Se você é professor ou trabalha na área de recreação em resorts, hotéis ou clubes, não deixe de colocar essas informações em prática e transmiti-las para os seus alunos ou hóspedes. As crianças acabam “educando” os adultos em muitas ocasiões, porque transmitem toda a informação que aprenderam para os pais. Sou mãe de uma criança de dois anos e meio e ele já tem me pego em contradições sobre diversos assuntos, hahaha.

Muito cuidado! Aproveitem o verão com segurança.

Post scriptum

[*] O Raphael Matsumoto, é engenheiro civil e fez um comentário que ajuda bastante a complementar o post:

Essa estrutura abaixo do solo chamamos de fundação. Serve como a raiz de uma árvore para garantir a estabilidade. É importante lembrar que as redes elétricas e edifícios são aterradas, isto é, possuem uma rede específica para condução das descargas atmosféricas ao solo.