Posso ser meteorologista sem estudar meteorologia?



Cortesia de Pixabay

Recebi mais uma dúvida sobre formação profissional. Quem me mandou a pergunta foi a Bruna:

Olá!! Gostaria de cursar meteorologia, porém onde eu moro não tem faculdade de meteorologia. O que eu poderia cursar a fim de trabalhar nessa área? Geografia ? E depois fazer uma especialização em climatologia? Lembrando que desejo trabalhar com monitoramento de espaço aéreo ou marítimo.

Eu tenho observado que essas dúvidas são mais comuns do que eu imagino. E conversando com colegas de áreas completamente diferentes da minha, percebo que muita gente não entende muito bem o que deve fazer para seguir uma determinada profissão. Acho isso alarmante, pois hoje em dia os estudantes tem todo tipo de informação através da Internet, mas eu tenho a impressão que essa informação simplesmente não chega até quem precisa delas.

Além disso, há TANTA informação (e desinformação, infelizmente) que eu tenho a impressão que os estudantes meio que “se perdem”. Por isso, sempre sugiro que os professores se informem sobre as diferentes carreiras para transmitir isso para os seus alunos. Na minha opinião, as escolas precisam organizar feiras de profissão e procurar fontes de informação para disponibilizar para os seus alunos, para ajudá-los de maneira mais ativa.

Bom, mas vamos responder a dúvida da Bruna.

Para ser meteorologista é necessário cursar o Bacharelado em Meteorologia ou Bacharelado em Ciências Atmosféricas. Não existe outra possibilidade. Se você for geógrafa e atuar como meteorologista, você estará realizando exercício ilegal da profissão. Sugiro que você leia mais sobre esse assunto nesse post.

No entanto, para atuar com pesquisa (área acadêmica) em uma Universidade ou Instituto de Pesquisa, você pode ser Geógrafa ou Física (por exemplo) e fazer Mestrado e Doutorado na área de Meteorologia. A especialização vem com os títulos de Mestrado e Doutorado e você demonstrará sua expertise com boas publicações dos resultados de sua pesquisa (artigos científicos ou papers). É assim que o pesquisador se torna conhecido e faz parcerias e colaborações com pesquisadores de outras instituições.

Sendo assim, mais uma vez vou resumir: para atuar como meteorologista profissionalmente é necessário possuir o diploma do curso de Bacharelado em Meteorologia (ou Ciências Atmosféricas) de acordo com a Lei nº 6.835, de 14 outubro de 1980. Para atuar como pesquisador, na área acadêmica, você pode ser formado em outro curso superior pois o que vai determinar sua capacitação é principalmente seu Mestrado e seu Doutorado.

Importante adendo!

Meu colega de profissão Marco Jusevicius fez uma excelente observação nos comentários do post e que eu faço questão de transcrever:

E associado com a graduação, é necessário o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA para a caracterização como profissional dessa área para as devidas anotações e responsabilidade técnica dos serviços prestados.

O registro do CREA é extremamente necessário para o exercício da profissão. Eu já falei a respeito disso em vários posts (como esse e esse), porém esqueci de reforçar a importância do registro no CREA nesse texto onde respondo a Bruna.

Para se registrar no CREA é necessário ir até o posto do CREA mais próximo de você e se informar. Eles vão pedir vários documentos, incluindo evidentemente o comprovante de conclusão do seu curso de Bacharelado em Meteorologia (ou Bacharelado em Ciências Atmosféricas). Além dos documentos, o profissional tem que pagar uma anuidade.

Obrigada, Marco!